Sobre

FERREIRARQUITETOS é um Atelier de Arquitetura fundado pelo Arquiteto José Ferreira, em 2017, que surge da sua paixão pela arquitetura, fruto da diversidade dos seus projectos, clientes e de diversas colaborações com diferentes gabinetes.

Cada um dos nossos projectos é cuidadosamente desenvolvido sob uma rigorosa atenção às especificidades do cliente, exigências do seu programa, à sua localização, contexto e questões conceptuais. Procuramos conciliar a criatividade com um diálogo aberto com o cliente e a sua realidade. O uso de novas tecnologias permite um acompanhamento em tempo real do projecto, facilitando a interação entre a arquitetura, o cliente e o seu sonho versus realidade.





FERREIRARQUITETOS é um Atelier de Arquitetura fundado pelo Arquiteto José Ferreira, em 2017, que surge da sua paixão pela arquitetura, fruto da diversidade dos seus projectos, clientes e de diversas colaborações com diferentes gabinetes.

Cada um dos nossos projectos é cuidadosamente desenvolvido sob uma rigorosa atenção às especificidades do cliente, exigências do seu programa, à sua localização, contexto e questões conceptuais. Procuramos conciliar a criatividade com um diálogo aberto com o cliente e a sua realidade. O uso de novas tecnologias permite um acompanhamento em tempo real do projecto, facilitando a interação entre a arquitetura, o cliente e o seu sonho versus realidade.

Nesta equipa, todos os seus intervenientes são autores, criadores, e colaboradores em cada um dos seus trabalhos. Todos os seus elementos intervêm em todas as fases dos mesmos, dependendo do brainstorming em equipa para alcançar a máxima qualidade no seu resultado.

Equipa

Equipa

José Ferreira

Fundador, Aquiteto responsável
Figueira da Foz, 1982

Formado em arquitetura pela ARCA-EUAC, Escola Universitária de Artes de Coimbra em 2007. Com um percurso complexo e repleto de diferentes experiências, nunca recusou um desafio ou oportunidades de aprendizagem que lhe permitissem crescer, estabelecer uma rede de contactos e um lugar de reconhecimento no universo da Construção e da Arquitetura.
Define perfeitamente as recompensas que o trabalho, a persistência e o empenho podem ter no percurso de qualquer um, que expressam a sua sede de aprender mais, de fazer melhor. Procura sempre referências de inspiração, como podemos ver diariamente nas centenas de separadores de browser no computador. Um eterno curioso, que construiu a Ferreira Arquitetos nas costas de uma carreira de trabalho.

Do lado de fora das quatro paredes do escritório, adora mais do que tudo passar tempo com a família, com os seus três traquinas. Gosta de novas experiências, desde locais a comida, e de se manter ativo, sempre com algo para fazer, seja trabalho, seja hobby, seja desporto, seja cultural. Duvidamos que saiba viver de outra forma!

Jéssica Martins

Arquiteta
Aveiro, 1994

Mestre em Arquitetura pela Universidade de Coimbra, terminou o seu percurso académico em 2018. Sendo uma amante de história, a sua dissertação final focou-se na Arquitetura Moderna durante a II Guerra Mundial, levando-a a viajar por diversos países em busca do impacto deste conflito. A arquitetura nem sempre fez parte dos seus planos. A ilustração e o desenho infantil sempre foram a sua grande paixão. O percurso académico acabou por ter um enorme impacto na sua perceção da arte, e a arquitetura tornou-se na sua principal ambição.
Em 2019, regressou à sua terra natal, iniciando o seu percurso profissional na Ferreira Arquitetos, numa fase embrionária do atelier. Hoje, é, também, responsável pela gestão e auxilia na parte fiscal e contabilística da empresa.

Fora do atelier, um dos seus hobbies é passar tempo com o Tito, e fazer voluntariado pelos animais. Adora ilustrar histórias de jornal e mergulhar no mundo da animação, onde consegue alimentar a sua paixão pela cultura asiática. Um dos seus maiores sonhos é visitar o Japão.

Rita Carvalho

Arquiteta
Coimbra, 1991

Mestre em Arquitetura pela Universidade de Coimbra, terminou o seu percurso académico em 2018. Em 2014, através da associação AIESEC, fez um estágio de voluntariado no Camboja, na área da educação. O seu interesse pelo lado social da arquitetura levou-a à escolha do tema da habitação social e dos sem abrigo na cidade de Londres, onde passou algum tempo a fazer pesquisa para a sua dissertação final de curso. Em 2018, iniciou o seu percurso profissional na Figueira da Foz, como Arquiteta Estagiária. Acabou por se mudar para Aveiro em 2020, integrando a Ferreira Arquitetos, e é hoje responsável pela estratégia de comunicação, marketing e gestão de redes sociais do atelier.

Adora o sol, gosta de viver perto do mar e dar passeios na praia com a sua patuda, a Molly. Desfruta de um bom passeio de bicicleta, caminhadas na Natureza e conviver com os amigos. Viajar é uma das suas grandes paixões, sempre a planear o próximo destino.

Inês Coelho

Arquiteta Estagiária
Entroncamento, 1997

Mestre em Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa, terminou o seu percurso académico em 2021. O seu projeto final de curso focou-se na defesa e reabilitação do património ferroviário do Entroncamento, fruto do orgulho na cidade onde nasceu e cresceu. Desde pequena, o seu lado criativo levou-a a concretizar diversos trabalhos e formações, na área da joalharia, e design gráfico. Integrou um projeto de voluntariado – Archikidz – onde desenvolveu workshops de arquitetura para crianças. Ainda em 2021, mudou-se para Aveiro, e começa a sua carreira profissional na Ferreira Arquitetos, como Arquiteta Estagiária.

Fora do atelier, é cocriadora do projeto Peddom, impressão 3D em PLA, aliando a sua formação ao seu espírito empreendedor. Adora aventurar-se em novas viagens, é fascinada por novas culturas e gastronomias. Procura sempre cultivar o seu gosto pelo desporto, como o ténis, e desfrutar de qualquer tempo ao ar livre, em novos lugares, com novas pessoas, mas se possível, ao mesmo tempo.

Ferreira Arquitetos

Gostava
de trabalhar
connosco?

No Atelier FERREIRARQUITETOS estamos sempre à procura de pessoas especiais para incorporar a nossa equipa.

  • 2021

    Prata nos Prémios Lusofonos de Arquitetura e Design de Interiores
    Categoria de Habitação - Reconstrução

    Prata nos Prémios Lusofonos de Arquitetura e Design de Interiores
    Categoria de Habitação - Reconstrução

    O proposto consistia na reabilitação da moradia existente, que se encontrava num avançado estado de degradação.
    A moradia desenvolve-se num único piso, em torno de um pátio, através do qual todas as divisões se interligam. O ponto de entrada da casa, apresenta-nos a fantástica paisagem em redor, sendo o ponto de charneira entre o programa privado e público. Na transição entre a entrada e o open space da cozinha/sala, surge um pequeno mezanino, criando um espaço contemplação sobre o mesmo. Ao nível da solução construtiva, optou-se pela utilização reduzida de materiais, procurando a simplicidade e a redução de custos de construção. Todas as divisões deixam de estar limitadas aos seus panos de parede, com a abertura de grandes vãos, e passam a ter como limite o pátio. Uma das principais características da moradia é o aproveitamento total do pé-direito criado pela inclinação da cobertura.

    Créditos Fotográficos: Ivo Tavares
    Fiscalização e coordenação de obra: TUU – Building Design Management

  • 2021

    Prata nos Prémios Lusofonos de Arquitetura e Design de Interiores
    Categoria de Restauração

    Prata nos Prémios Lusofonos de Arquitetura e Design de Interiores
    Categoria de Restauração

    O Clube de Vela da Costa Nova, um dos mais antigos clubes náuticos da zona do estuário da Ria de Aveiro, estava dividido em 3 espaços principais: o restaurante, o bar dos sócios e a esplanada. Para cada um destes espaços, existia um público específico, com preferências e tradições diferentes, o que provocou o grande desafio deste projecto. Pretendia-se renovar um espaço danificado pela passagem do tempo e, simultaneamente, manter o espaço reconhecível do “antigo”, respeitando as memórias e o seu valor, ainda relevante para todos os membros do Clube dos Sócios. Assim, manteve-se a madeira como o pano de fundo do típico palheiro da Costa Nova, de modo a enraizar essa memória, no entanto, sempre utilizada aliada ao moderno e às tecnologias, como por exemplo, nas peças de madeira retro iluminadas, de modo a criar um ambiente único e confortável. Em termos da morfologia do espaço, era claro que a excessiva divisão do mesmo estava a prejudicar a fluência do percurso, e então, decidimos criar um único balcão, sendo que este mantinha, ainda que sublime, a divisão entre o restaurante e o bar dos sócios. No restaurante, decidimos aproveitar a vista posterior sob a ria, através de grandes vãos com uma expressão minimalista, de modo a manter uma visão panorâmica mais limpa. E a cozinha, agora ampliada, permitia ao utente um acompanhamento dos trabalhos e das condições da mesma.

    Créditos Fotográficos: Ivo Tavares